Prefeitura de Petrópolis elabora calendário de atividades preparatórias para o Defesa Civil nas Escolas

Prefeitura de Petrópolis elabora calendário de atividades preparatórias para o Defesa Civil nas Escolas

Compartilhe isso:

A Secretaria de Defesa Civil e Ações Voluntárias elaborou um calendário de atividades preparatórias para o primeiro semestre letivo deste ano da política pública de inserção dos temas Defesa Civil e Educação Ambiental em sala de aula. Será realizada a atualização dos profissionais de ensino que participaram do projeto do ano passado, além do treinamento para os elementos focais das escolas que possuem educação infantil – com a inclusão dessa faixa etária, outros 10 mil alunos também terão acesso ao programa que ensina medidas de prevenção e de percepção de riscos. Outra novidade para este ano é a inclusão das atividades sobre o bem-estar animal.

Inédito no país, o Defesa Civil nas Escolas atende toda rede municipal de ensino, além de escolas particulares e estaduais que desejam aderir a proposta de maneira voluntária. A reunião com os responsáveis por essas instituições acontece no dia 12 de fevereiro, às 14h, na Sala de Cooperação da Defesa Civil. A proposta é levar medidas de prevenção para o máximo de crianças e adolescentes.

Desde o ano passado, o objetivo é que a participação das escolas particulares e estaduais no programa chegue para ainda mais pessoas. A ideia de transformar a forma de pensar da população passa diretamente pelo ensinamento nas escolas.

A capacitação dos profissionais de ensino das escolas que possuem educação infantil acontece nos dias 18 e 22 de fevereiro na Câmara Municipal. A medida vai permitir que mais 10 mil alunos tenham acesso ao programa que ensina medidas de prevenção e de percepção de riscos, reforçando a importância da prevenção aos desastres de origem natural. Ao longo de cada semestre, as crianças devem desenvolver trabalhos práticos sobre as ameaças de cada estação, com o apoio dos professores.

Principal novidade para este ano, a inclusão do tema bem-estar animal vai permitir que os alunos fortaleçam a compaixão e o respeito pelos bichos. Serão abordados assuntos como maus-tratos, posse responsável e digna para os animais e a questão do abandono – crime ambiental com pena de reclusão.

“Na grande maioria das vezes, os casos de maus-tratos são resolvidos com a orientação e a conversa com os donos dos animais. O trabalho com as crianças em sala de aula vai garantir que elas desenvolvam a compaixão e o respeito pelos bichos, ressaltando a importância da adoção responsável”, disse Elisabete Amorim, coordenadora de Bem-estar Animal.

Iniciativa da prefeitura, a aplicação da lei é um passo importante no desenvolvimento de uma cultura de resiliência na cidade. Com 234 áreas de risco alto ou muito alto – equivalente a 18% do município – e um déficit habitacional de 12 mil casas, a política pública é mais uma ação da prefeitura de prevenção aos desastres naturais. A iniciativa reforça todas as ações que trabalham a importância da percepção de riscos não só no ambiente escolar, mas, também na comunidade.