PMDB Mulher-RJ entra na campanha Novembro Azul pela saúde do homem

PMDB Mulher-RJ entra na campanha Novembro Azul pela saúde do homem

Compartilhe isso:

Pelo quarto ano consecutivo, o PMDB Mulher-RJ está mobilizado na campanha Novembro Azul, voltada para prevenção do câncer de próstata. O núcleo de mulheres do partido está engajado na conscientização dos homens, especialmente acima dos 40 anos, sobre a importância do diagnóstico precoce e formas de tratamento. Para isso, elas utilizam as redes sociais para a divulgação de informações sobre a doença.

O câncer de próstata é a segunda maior causa de morte por doença entre homens no Brasil. De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCA), a estimativa é de que mais de 61 mil novos casos de câncer sejam diagnosticados entre 2016 e 2017. Por ano, são registrados 1,1 milhão de novos casos por ano de câncer de próstata e mais de 300 mil mortes.

Se diagnosticado em fase inicial, a letalidade do câncer diminui em mais de 95% dos pacientes. Porém, segundo a Secretaria de Estado de Saúde (SESRJ), o preconceito e o medo de ser diagnosticado precocemente fazem com que homens deixem de procurar um atendimento na rede de saúde. A secretaria disponibiliza atendimento especializado no Centro de Atenção à Saúde do Homem, no bairro São Francisco Xavier, que apenas em 2016 realizou quase 7 mil consultas e 850 cirurgias.

As integrantes do PMDB Mulher-RJ também estão se mobilizando nas redes sociais para promover a luta contra o câncer de próstata. Para a presidente do núcleo, Kátia Lôbo, o movimento deve envolver toda a sociedade, incluindo as mulheres: “A campanha pelo Outubro Rosa teve um engajamento grande, e esperamos repetir o sucesso com o Novembro Azul. Estamos entrando também nessa luta porque ainda há um desconhecimento muito grande sobre a doença”.

Kátia Lôbo também destacou a Semana da Saúde na Cinelândia, ação que o governo estadual promoverá entre os dias 21 e 24 de novembro. “Será uma oportunidade para que os homens tenham a chance de se consultar com urologistas e de se informar sobre consultas, exames e cirurgias. No ano passado, o serviço consultou mais de 1.000 pacientes”, lembrou Kátia.