MDB Nacional definiu critérios para distribuição dos R$ 69,6 milhões do fundo eleitoral às candidatas mulheres

MDB Nacional definiu critérios para distribuição dos R$ 69,6 milhões do fundo eleitoral às candidatas mulheres

Compartilhe isso:

A Executiva Nacional do MDB definiu, em reunião dia 3 de julho, que irá priorizar as candidaturas femininas para fazer a maior bancada federal e estadual. Durante o encontro, o diretório debateu os critérios de divisão dos recursos do fundo eleitoral que, graças a decisões do TSE e do STF, deverá ter 30% destinado às candidaturas femininas. Para a presidente do MDB Mulher Nacional e pré-candidata ao Senado Federal, Fátima Pelaes, que participou do encontro, a decisão fortalece as candidaturas das mulheres transformadoras do MDB.

“As candidaturas femininas são uma prioridade do MDB que irá definir agora, com os núcleos femininos e os diretórios estaduais, os nomes com melhores condições de ganhar a eleição, para dividir o percentual do recurso a que temos direito. Mais mulheres em ação como candidatas, mais mulheres no poder, mais mulheres transformadoras, um Brasil melhor”, explicou Fátima Pelaes.

De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o MDB ficará com R$ 234 milhões do montante total de R$ 1,7 bilhão disponível no fundo público. É a maior fatia na divisão de recursos entre os partidos. Desses valores, o MDB terá R$ 69,6 milhões para distribuir para suas candidatas em todo o Brasil e pretende priorizar as candidaturas femininas aos cargos majoritários e à Bancada Federal, sem deixar as bancadas estaduais de lado.

Segundo o presidente do MDB Nacional, senador Romero Jucá (RR), as candidatas do partido com mais chances de vencer nas eleições de outubro deste ano terão cobertura “mais sólida” dos recursos aos quais a legenda tem direito.

“A Executiva tomou uma decisão fundamental para a disputa das eleições 2018: a candidatura de mulheres é prioridade no MDB. Vamos ter recursos alocados tanto do fundo partidário quanto do eleitoral para financiar candidaturas de mulheres em todos os estados brasileiros. Queremos ter a maior bancada federal de mulheres do Congresso Nacional e, portanto, tanto o MDB Mulher quanto os diretórios estaduais já estão orientados a buscar candidaturas viáveis que possam fortalecer a posição da mulher e do partido nessa disputa”, afirmou Jucá, que convidou todas as mulheres do partido a entrar na política.

A decisão foi comemorada também pela vice-presidente do MDB Mulher Nacional e pré-candidata a deputada federal, Carla Stephanini (MS), que acredita no fortalecimento das candidaturas femininas.

“Com esse apoio, temos capacidade de aumentar as bancadas femininas e fazer a diferença na construção de políticas públicas específicas para as mulheres. Temos capacidade de transformar a política”, avaliou.

O ministro de Minas e Energia, Moreira Franco, que é presidente da Fundação Ulysses Guimarães, vinculada ao partido, afirmou que o partido ajudará na “avaliação das possibilidades dessas candidatas para fazer um esforço no sentido de garantir a eleição do maior número de deputadas federais, senadoras, governadoras e deputadas estaduais. E o critério mais objetivo decorre das condições efetivas de ganhar a eleição”.