‘Estamos na contramão da crise’, diz prefeito de Duque de Caxias após 100 dias de governo

‘Estamos na contramão da crise’, diz prefeito de Duque de Caxias após 100 dias de governo

Compartilhe isso:

Washington ReisFonte: G1

Demonstrando muito otimismo, adotando como lema “Nada para amanhã, tudo para agora” e trabalhando até 18 horas por dia, Washington Reis nem parece o administrador que assumiu uma cidade falida, com apenas R$ 13,29 em caixa e dívidas da ordem de R$ 400 milhões. Em 100 dias de governo, ele diz ter conseguido arrumar a casa e até iniciar um novo ciclo de investimentos em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense.

“Na nossa gestão tudo está em dia: os salários dos meses de janeiro, fevereiro e março foram pagos adiantado, já paguei outubro e o 13º e fiz um projeto para perdoar juros e multas de impostos atrasados e arrecadar mais. No projeto enviado à Câmara, carimbei os recursos que entrarem para pagar as duas folhas salariais que ainda estão atrasadas, de novembro e dezembro, que totalizam cerca de R$ 170 milhões”, diz.

Apesar da crise, Reis afirma que está otimizando os recursos que chegam e alavancando verbas federais, cobrando do estado convênios em atraso, que têm recursos também carimbados, como nas áreas de saúde e educação. Na entrevista ao G1, o mandatário usou algumas vezes a expressão “cidade-modelo”, com a qual manifesta o desejo de que Caxias seja exemplo para outros municípios qe atravessam dificuldades.

Segundo ele, o Hospital Moacyr do Carmo, que estava subutilizado, voltou a funcionar plenamente, já tendo realizado 1.500 cirurgias nesses 100 dias.

“Os equipamentos do Hospital do Olho estão chegando, já temos mais de 50 dias de obras, que devem ser concluídas este mês. No Hospital Duque, estamos fazendo centros de imagem e de reabilitação, além de obras para reabrir a emergência. Abrimos uma maternidade em Xerém há um mês. A área de saúde nós estamos pegando “na unha”, para fazer de Caxias uma cidade modelo”, afirma o prefeito.

Reis diz que vem conseguindo reativar a economia municipal pela via da desburocratização, facilitando a concessão de licenças e alvarás para empreendimentos.

“Havia centenas de projetos represados de novos comércios e industrias por falta de licenciamento, mas hoje os investimentos chegam diariamente, alavancando a arrecadação e gerando emprego. Estamos na contramão da crise”, garante.

O prefeito, que era deputado federal, também traz verbas para a cidade por meio das emendas que apresentou como parlamentar. Entre elas, R$ 1,75 milhão para a implantação do centro de monitoramento com 500 câmeras, uma de suas promessas de campanha com foco no apoio à segurança pública.

“Pedi ao estado que nos ceda o antigo prédio da 59ª DP, que vamos reformar e instalar ali o centro. Vamos construir portais de monitoramento nos acessos à cidade e integrar a Guarda Municipal com a PM. Mesmo com todas as dificuldades, pretendo aportar recursos para renovar a frota da PM na cidade e melhorar o policiamento ostensivo”, garante.

Quanto a outro compromisso de campanha, a melhoria do fornecimento de água na cidde, Reis diz que serão concluídas em breve as obras no Morro do Motocross, resolvendo o problema nos bairros Jardim Primavera, Saracuruna e parte de Imbariê. Com as obras, o volume adicional de água tratada que chegará a essas localidades será de mais de mil litros por segundo.

O prefeito admite que a grave crise do estado tira parte da capacidade de fazer grandes investimentos, mas afirma que ainda assim tem condições de sanear as contas de Caxias.

“Estamos renegociando contratos com fornecedores e obtendo grande economia. Em alguns contratos eu repactuei os valores para menos de um terço. Dou um exemplo: cerca de 1.100 itens de saúde, que o governo anterior comprou por R$ 36 milhões, eu comprei agora por pouco mais de R$ 16 milhões. Os mesmos itens, na mesma quantidade, com os mesmos fornecedores. Hoje Caxias paga R$ 40 pela tonelada de lixo levada para aterro, contra R$ 67 até o ano passado”.

Até o fim do primeiro semestre, o prefeito promete iniciar obras para urbanizar mais de 100 quilômetros de vias, o que segundo ele cobrirá toda a área urbana da cidade e parte da área rural. Reis obteve ainda do presidente Michel Temer o compromisso de receber R$ 306 milhões do Ministério das Cidades para obras de macrodrenagem.

“São grandes obras que vão solucionar o problema das enchentes na cidade, principalmente no Centro e bairros como Pilar e Jardim Primavera. Os projetos já estão todos prontos para serem licitados”, explica.

O vídeo da entrevista está disponível neste link: http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/estamos-na-contramao-da-crise-diz-prefeito-de-duque-de-caxias-apos-100-dias-de-governo.ghtml