Escolas participam até 10 de dezembro da campanha “16 dias de ativismo pelo fim da violência contra as mulheres”

Escolas participam até 10 de dezembro da campanha “16 dias de ativismo pelo fim da violência contra as mulheres”

Compartilhe isso:

Pela primeira vez, a Secretaria de Estado de Educação (Seeduc) participará da campanha internacional 16 dias de ativismo pelo fim da violência contra as mulheres e promoverá um conjunto de ações nas escolas públicas do Rio de Janeiro. Realizada entre 25 de novembro – Dia Internacional da Não Violência Contra a Mulher – e 10 de dezembro – Dia Internacional dos Direitos Humanos – em cerca de 160 países, a iniciativa pretende conscientizar e destacar a luta pela igualdade de gênero e a conquista de direitos das mulheres. Na rede estadual de ensino, as ações começaram nesta sexta-feira, dia 24.

– Nesta data, a Seeduc vai realizar um seminário, na Escola de Aperfeiçoamento dos Servidores de Educação do Estado do Rio de Janeiro, no Andaraí, contando com palestras com especialistas no assunto – diz o secretário de Estado de Educação, Wagner Victer.

A mobilização terá uma série de atividades nas unidades escolares, como debates, palestras, oficinas de produção textual, apresentação de esquetes, montagem de murais, exibição de filmes e documentários, entre outras ações. A Lei Maria da Penha, o Feminicídio no Brasil e outros tipos de violência contra as mulheres serão alguns assuntos abordados pela comunidade escolar durante os dias da campanha. Oportunamente, neste período também será celebrado o Dia Nacional de Mobilização dos Homens pelo Fim da Violência contra as Mulheres, em 6 de dezembro.

A Secretaria estadual de Educação também fará homenagens em sua página oficial do Facebook (www.facebook.com/SeeducRJ) a mulheres brasileiras que tiveram destaque em diversos setores da sociedade, além de divulgar novidades da campanha e outras ações importantes realizadas no país voltadas ao ativismo pelo fim da violência contra a mulher.

– A adesão das escolas estaduais à campanha e o engajamento dos jovens serão ações oportunas de conscientização e valorização desse ativismo. A partir do momento em que são realizadas atividades com base nesse tema, tendo os jovens alunos como público-alvo, essas informações serão disseminadas e vão contribuir na formação de bons cidadãos – declara Wagner Victer.

Ensino da Lei Maria da Penha nas escolas estaduais

A Secretaria de Estado de Educação (Seeduc) tem realizado um conjunto de ações pioneiras no Rio de Janeiro e no Brasil. Em novembro de 2016, o Governo do Estado sancionou a Lei Nº 7.477, criando o “Programa Lei Maria da Penha vai à Escola” e estabelecendo o ensino de noções básicas da Lei Maria da Penha em escolas estaduais. O Rio de Janeiro foi o primeiro estado brasileiro a adotar a proposta em forma de lei.

Em outra iniciativa importante, a Secretaria de Educação e o Ministério Público estadual firmaram, em março de 2017, um convênio para divulgação do projeto e elaboração de videoaulas com o objetivo de trabalhar de forma preventiva a violência contra a mulher. Desde então, mais de 50 palestras sobre a Lei Maria da Penha foram ministradas em escolas públicas estaduais do Rio de Janeiro.